Businesswoman holding coffee and texting

O excesso de trabalho, de cobrança por informação e emoção virou uma constante na vida de muita gente. Perceber a beleza do intervalo e descobrir o que vale a pena carregara na bagagem indica o melhor caminho a seguir. Manter-se na faixa do meio é o antídoto para a ansiedade, a compulsão, a pressa e a insatisfação sem limite.

“Atualmente, não ter tempo é visto como sinônimo de sucesso. É o executivo que marca o almoço com você, mas não aprofunda uma ideia porque, entre uma garfada e outra, ele precisa atender o celular. Parece estranho, mas, no momento em que desejamos ter mais informação e tempo, faltam espaços em branco, vazios, intervalos. Não dá para engolir informação e querer arquivá-la sem um mínimo de digestão e pausa.”
A afirmação é do Rabino Nilton Bonder, autor de ‘Ter ou não Ter, Eis a Questão’ (Ed. Elsevier/Campus), dentre outros livros de auto-conhecimento e Cabala.

O segredo para escapar desta arapuca diária está em se esvaziar, a todo instante, e encontrar o equilíbrio entre o excesso e a ausência.

Assumir compulsivamente mais e mais compromissos e atividades sociais pode prejudicar muito esta percepção. Às vezes até alguns prazeres viram uma carga pesada nesta locomotiva sem freios.
É necessário que conheçamos os nossos limites físicos, emocionais e energéticos. Seja para a dieta, as obrigações da carreira, o desejo de ser melhor, fazer mais, a nota 10 em tudo, o reconhecimento que desejamos do outro… enfim, para todas as nossa atividades. O que não significa se tornar apático ou “zen” demais para seu estilo.

iPhoneography

“Ao desconectarmos nosso corpo e a mente da essência das coisas, nos tornamos vítimas de um entorpecimento que leva às relações superficiais e à sensação de angústia”, segundo a psicóloga Luiza Ricotta.

Sociedade que não desliga

Um estudo feito pela empresa de recrutamento de executivos Korn/Kerry International, nos Estados Unidos, concluiu que quatro em cada cinco executivos estão conectados ao trabalho por meio de aparelhos móveis, especialmente os celulares.

“A dependência de qualquer tipo de tecnologia é tamanha que vem sendo apontada como uma das principais causas de estresse”, diz Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR, International Stress Management Association no Brasil.

De acordo com uma pesquisa realizada por essa associação, o uso excessivo de tecnologia gera ansiedade, angústia, dificuldade de concentração e frustração. E mais: eleva o consumo de álcool e cigarro, provoca agressividade, distúrbios do apetite e da libido. Tudo provocado pela eterna sensação de que precisamos ir cada vez mais rápidos. “A maior parte das pessoas não se dá conta de seu ritmo acelerado e acredita que estar sempre ocupado é sinal de importância e status.

A medida das coisas

A história da ansiedade pela quebra de recordes vem de longe e já derrubou até deuses de seu pedestal. No panteão dos gregos, as divindades zelavam para que os mortais não ultrapassassem o métron, a medida de cada um, e não tentassem competir com a esfera do Olimpo. Esta era a forma de manter o equilíbrio entre todos. Nêmesis era o nome da executora da justiça de Zeus, o deus dos deuses. “Nas tragédias, ela personifica uma vingadora de crimes e punidora de hybris, o excesso”, como explica Vera Couto, psicoterapeuta e especialista em mitos gregos.

TESTE

Você está acelerado?

Responda verdadeiro ou falso aos itens abaixo

– Termino o dia exausto. O motivo é o ritmo frenético que mantenho diariamente.
– Avalio minhas realizações pela quantidade e depois pela qualidade.
– Engarrafamento de trânsito me deixa irritado.
– Fico impaciente quando alguém fala devagar
– Meu sono é agitado.
– Uso medicamento ou bebida alcoólica para relaxar

Resultado – Se assinalou:
Até 2 itens como verdadeiros: você está com o controle de seu dia a dia e mantém o ritmo da em equilíbrio.
3 a 4: alerta! A pressa está afetando sua qualidade de vida. Programe-se para algumas mudanças de comportamento para não colocar sua saúde em risco.
Acima de 4: pare! Sua saúde física e mental está na tangente. O risco de você adoecer é próximo de 70%. Planeje mudar o que puder, atividades, trabalho, rotina, e comece a aceitar o que não tiver controle para mudar.

Acompanhe o blog esta semana que vem com este debate sobre equilíbrio, felicidade e bem estar, repleto de informações e dicas para você se conectar!

  • Felicidade é genética? Bom queridos, Continuamos hoje nossas postagens sobre a felicidade. Como dissemos no post de ontem que abordou a pressa como principal inimiga da felicidade, este estado depende de […]
  • Sinais de depressão Como identificar os sinais de depressão e descobrir se você atravessa esta fase? “A depressão afeta cerca de 350 milhões de pessoas no mundo. Caracteriza-se pelo humor triste […]
  • Estresse no trabalho É cada vez mais crescente o relato de casos de estresse em executivos e empregados, no geral. Com a crescente exigência de resultados imediatos e lucrativos para as empresas, os […]
  • Ansiedade, síndrome do pânico, depressão, angústias e estresse: como identificá-los? Hoje irei abordar brevemente os quadros de ansiedade, síndrome do pânico, depressão, angústias e estresse. As definições e sintomas serão apresentadas pela visão da psiquiatria, ou […]