Young Girl Listening to an MP3 Player on the Beach

Bom queridos,

Continuamos hoje nossas postagens sobre a felicidade. Como dissemos no post de ontem que abordou a pressa como principal inimiga da felicidade, este estado depende de vários fatores, muitos deles individuais.
O mais interessante é que, para as filosofias orientais, felicidade não é um estado passageiro como a alegria ou a euforia, por exemplo. Felicidade simplesmente é o estado perene do Ser. Nunca muda. Embora tenhamos dores, decepções e outros incômodos na vida, para estas filosofias, como o Vedanta e o Budismo por exemplo, não deixamos de ser felizes quando algo não está bom. O “SER” é bastante diferente do “ESTAR”. Para o “estar”, cabem as emoções passageiras como a alegria ou a tristeza.

Embora este conhecimento seja profundo e até bastante amplo, para nós ocidentais a felicidade está associada ao estado de bem estar. É o estado de equilíbrio entre as várias esferas da nossa vida, como a afetiva, profissional, financeira e espiritual. Não pense agora que ser feliz é ter todos estes fatores 100% realizados! Mas entendemos a felicidade no equilíbrio entre as forças que distribuímos a cada um deles, mesmo sabendo que oscilam constantemente.

Querer manter todos os aspectos da sua vida, ou mesmo que seja apenas um, 100% preenchido (como o trabalho por exemplo), pode gerar um desgaste imenso gerando ansiedade e frustração.

Felicidade é genética?

Depois de estudar irmãos gêmeos para avaliar o peso da genética na construção da felicidade, uma pesquisa americana determinou que:

-50% da felicidade é fruto de nossa biologia, ou seja, está em nossa genética.
-10% vem do acaso, de acontecimentos que não temos como prever
-40% é fruto de nossas escolhas
(fonte: Globo Repórter)

Bom, isso demonstra que culpar os antepassados pela sua infelicidade agora não é uma prática das mais validadas. Cabe então a cada um olhar para sua vida no presente e perceber como fez ( e faz) escolhas que modificam completamente a sua vida e aproximam (ou afastam) da felicidade tão sonhada.

Se a felicidade depende dos óculos com que você enxerga o mundo, tá mais do que na hora de caprichar na escolha, não é mesmo?

Outro fator que implica na nossa percepção da felicidade é a idade. Quando jovens, as pessoas associam as novas descobertas à felicidade. Na fase adulta, os relatos mostram que as conquistas materiais e a prosperidade têm grande peso. Já na maturidade, saúde e atividade são essenciais para que se percebam felizes.

Que tal se pudermos juntar todos estes fatores de maneira bem distribuída, para uma vida mais leve, sem pressões excessivas, com gratidão e aceitação de toda a beleza e FELICIDADE que já somos? ;-)

Aqui abaixo vocês podem acompanhar o Globo Repórter ‘Os Mistérios da Felicidade’, que foi ao ar no dia 01/11/2013 e que mostra várias destas pesquisas que aqui resumi.

Divirtam-se e sejam felizes agora!

http://www.youtube.com/watch?v=cBkFgw7fCX0
http://www.youtube.com/watch?v=xLUN0e1onZI
http://www.youtube.com/watch?v=AMSXxW-5g48

  • Pressa x felicidade: você sabe a medida certa? O excesso de trabalho, de cobrança por informação e emoção virou uma constante na vida de muita gente. Perceber a beleza do intervalo e descobrir o que vale a pena carregara na bagagem […]
  • 15 maneiras de ficar zen Zen virou um adjetivo para caracterizar pessoas calmas, distraídas ou boas demais. Mas será que significa isso mesmo? Essa palavra oriental, que entrou na moda há cerca de duas […]
  • O que significa viver felicidade? A busca pela felicidade tem se tornado cada vez maior. Existem várias experiências que podem nos fazer sentir felizes. Um bom passeio, uma comida apetitosa, uma conversa gostosa ou […]
  • Sinais de depressão Como identificar os sinais de depressão e descobrir se você atravessa esta fase? “A depressão afeta cerca de 350 milhões de pessoas no mundo. Caracteriza-se pelo humor triste […]